Um bom gestor público sabe que o trabalho desempenhado pelos servidores é fundamental para o bom andamento da repartição. Por esse motivo, ele acompanha de perto as atividades dos seus agentes, valorizando seus conhecimentos, decisões e métodos. A avaliação de desempenho é uma das maneiras mais eficazes de valorizar o capital humano em uma instituição pública.

Por meio dela, o gestor identifica os pontos que precisam melhorar e avalia o nível de atuação de um ou mais servidores.

Quer saber mais sobre essa ferramenta? Então, continue lendo!

O que é a avaliação de desempenho?

Trata-se de uma ferramenta de gestão de pessoas cuja finalidade é identificar e analisar o desempenho de um ou mais servidores dentro de uma instituição.

Por meio desse instrumento, é possível diagnosticar o comportamento individual do servidor público, seu conhecimento técnico, suas relações com outros agentes etc.

Quais são as vantagens dessa avaliação?

A avaliação de desempenho é vantajosa tanto para o órgão público quanto para o servidor. Dentre outras coisas, aplicação desse instrumento permite:

  • identificar novos talentos para ocuparem cargos em comissão;
  • realizar um remanejamento interno de tarefas e responsabilidades;
  • identificar competências que precisam ser desenvolvidas;
  • mensurar a evolução horizontal dos servidores em caso de programas de metas e desempenho.

Quais são os tipos de avaliação?

Há diversos tipos de avaliação de desempenho. Todos têm papel estratégico para o órgão público e colaboram para facilitar a compreensão do quanto cada servidor contribui para o bom desempenho da repartição.

Autoavaliação

Nesse formato, o próprio servidor avalia seu desempenho com base em alguns critérios previamente combinados. A grande vantagem desse tipo de avaliação é que o servidor participa do processo, tornando tudo mais transparente. 

Por competências

Nesse caso, a avaliação é feita com base nas competências necessárias para o cargo em questão. O gestor avalia o servidor com a finalidade de traçar metas de acordo com parâmetros estabelecidos. 

Geralmente, são avaliadas as competências comportamentais — capacidade de iniciativa, disposição para trabalhar em equipe, proatividade etc — e técnicas — que são relacionadas com a atividade exercida. 

Por objetivos

A avaliação de desempenho por objetivos ocorre quando a própria equipe avalia cada um dos seus membros. Além disso, ela aponta o que precisa melhorar e como chegar a esse fim.

Direta ou 90 graus

A avaliação direta é geralmente aplicada pelo superior imediato do servidor. Cabe a ele conduzir todo o processo a fim de analisar o desempenho dos seus agentes. Além disso, é ele quem emite pareceres e comunica os resultados aos seus subordinados diretos.

Conjunta ou 180 graus

Por meio desse modelo, a avaliação é feita em conjunto, ou seja, entre avaliador e avaliado. Trata-se de uma ótima oportunidade para trocar informações com clareza e objetividade.

Além de todas as vantagens que a ferramenta já apresenta, esse tipo favorece a boa comunicação entre gestores e servidores, podendo ser produtivo para ambos.

360 graus

Por fim, a avaliação 360 graus é feita por todas as pessoas que mantêm algum tipo de interação com o avaliado. Por esse motivo, ela conta com a participação de outros agentes da instituição, como colegas de trabalho, de gestores e do público. 

Como implantá-la na gestão pública?

Muitas entidades acreditam que, para implantar essa ferramenta, basta preencher formulários e mensurar os resultados. A verdade é que há um caminho longo pela frente. Para começar, a área de Recursos Humanos deve ser a responsável por esse processo, criando uma cultura interna de avaliação de desempenho e contar com o apoio de um sistema informatizado para acompanhamento e controle.

Inicialmente, a instituição deve capacitar os gestores para que eles sejam capazes de fazer um acompanhamento direto de seus servidores, dar feedback e analisar competências. 

O tipo de avaliação deve ser implantado de acordo com o modelo de gestão da entidade e seus objetivos. 

Com gestores preparados e uma cultura interna bem estruturada e organizada e um bom sistema de gestão de avaliação de desempenho na área pública, a instituição poderá começar a avaliar seus servidores e usufruir dos benefícios desse método. 

Gostou deste post sobre avaliação de desempenho? Então siga as nossas páginas nas redes sociais para acompanhar nossas atualizações. Estamos no Facebook, no LinkedIn e no YouTube. Vamos lá!

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.